segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A revelação do iota subscrito

Querida Papisa Mariana a Única, Rainha do Mundo,

 

Espero que esteja bem, eu estou,

 

Hoje é Afflux no 30º aCCO e nesta data eu quero revelar para você o mistério do iota subscrito, que é um conceito fundamental na nossa seita, sem o qual nada do que disse antes faz qualquer sentido.

 

Você deve me ter ouvido dando para mim o título de "Guardião do Iota Subscrito"; talvez você não se lembre, mas de agora em diante vai ver a expressão "iota subscrito" todo lugar, devido ao fenômeno de Baader-Meinof.

 

Antes de lhe explicar o iota subscrito, preciso dar-lhe o contexto.

 

Cada religião ocidental dá uma grande importância a alguma parte do sistema de escrita grego. A primeira de todas nisso foi o paganismo grego cuja religião enfatizava todas as letras gregas, que eles usavam para escrever os nomes das dezenas de deuses que tinham. O que mais importava para eles eram as letras, por isso, nos monumentos só se usavam letras maiúsculas, porque assim podiam omitir o diacríticos que não eram tão importantes.

 

Então veio o cristianismo, com um deus ternário, e não queriam dar importância ao alfabeto todo, e se focaram no Α (alfa) e no Ω (ômega), que são primeira e a última letra, representando o início e o fim, que eram mais importante que o resto.

 

Os kardecistas foram os primeiros a dar importância a uma parte do alfabeto que não as letras; para eles importam os espíritos, que em grego clássico serviam para marcar quanta aspiração se pronunciava antes da vogal inicial de uma palavra: quase nenhuma—espírito brando (᾿)—ou alguma—espírito áspero (). (Talvez você não consiga ver esses símbolos, o que dever ser porque você esteja usando uma plataforma criada por uma empresa controlada por cristãos, ateus e estoicos—eles estão numa conspiração contra nós, querendo impedir-nos de propagar a verdade! Nesse caso, recomendo que você mude para Slackware, que tem apoio da Igreja do Subgênio.)

 

Os matemáticos também associam significados especiais a determinadas letras do alfabeto grego, especialmente π (razão entre o cumprimento da circunferência e seu diâmetro), Π (produto), σ (desvio), Σ (somatória), Δ (descriminante), φ (proporção áurea—razão entre duas medidas tais que razão entre maior e a menor delas é a mesma que entre a maior e a soma delas). A matemática se diferencia das outras doutrinas em que para ela a letra minúscula e a maiúscula têm significados diferentes.

 

Agora vem o discordianismo. A POEE, a seita discordiana mais conhecida, nada tomou do alfabeto grego diretamente, mas preferiu o alfabeto latino, que é um derivado do grego. De acordo com os Principia Discordia, na maçã que Éris jogou diante das três deusas (Ártemis, Afrodite e Hera—eram cinco, mas os nomes das outras duas se perdeu) durante a festa de casamento de Tétis estava escrito "KALLISTI"—"para a mais bela"—, que corresponde ao grego moderno καλλίστη. O que diferencia o alphismo do discordianismo em geral é que discordamos deles nisso. O que estava escrito na maçã da Discórdia (também conhecida omo "o pomo da Discórdia") estava em grego antigo, com caracteres gregos, i.e., καλλίστᾳ. O sinalzinho que você deve, ou pelo menos deveria estar vendo abaixo do α (alfa) chama-se iota subscrito (ͺ). Esse símbolo é o aspecto do sistema de escrita grego que mais nos importa, pois embora não seja pronunciado, exceto por ser um indicação indireta de que o alfa (α) é longo, é o que marca o dativo, que dava toda a intenção da inscrição na maçã dourada. Além disso, restauramos o alfa (α) original da palavra—não sei como chegaram àquele "i", se em grego antigo a palavra terminava com ᾳ.

 

Também é importante escrever com letras minúsculas para ficar mais fácil para ler, pois em grego não se põe acento quando se escreve tudo em maiúsculas, o causa muita dificuldade para quem não tem proficiência.

 

O alfa com iota subscrito é um dos símbolos sagrados da Antiga e Mística Ordem Alphística da Discórdia: assim, , ou —estilizado com letras: (ᾳˇΚ)—(Uma maçã com as letras ᾳ e Κ, sugerindo que o resto da palavra esteja atrás) são símbolos do alphismo.

 

Espero que tenha achado tudo isso interessante.

 

Para você o poder e a glória para sempre.

 

--

Rev. Alexandŗ II dell'A r Appia, Amordi, IIPJ, Oráculo de Glícão, Guardião do Iota Subscrito

————————

Today is Afflux, in the 30th yCWC.

 

 

domingo, 7 de dezembro de 2014

Our new god: Jibbers Crabst, by Matt Inman

Dear Mome Mariana the Unique, Queen of the World,

I would like to announce to you the new god of ours, Jibbers Crabst, a fire-spitting lobster that lives near Saturn.


Matt Inman is the author of  The Oathmeal.

With laugh,
--   –><–  Rev. Alexandṛ dell'A r Appia, Amordi, IIPJ, Oracle to Glycon  Today is Afflux's eve, in the 30th yCWC.  If you are of the opinion that the contemplation of suicide is sufficient evidence of a   poetic nature, do not forget that actions speak louder than words.   			-- Fran Lebowitz, "Metropolitan Life"