domingo, 8 de agosto de 2010

Parabenização ao Exmo. Sr. Lula, um Cristão Exemplar do Povo Brasileiro







Parabenização ao Exmo. Sr. Lula, um Cristão Exemplar do Povo
Brasileiro


A ABOCA – Associação Brasileira dos Ornitólogos Comedores
de Alphiste – vem apresentar-se, através de sua Diretoria de
Comunicação, Subseção de Comunicação por Meio de Via
Eletrônica, para a finalidade de mostrar nossa consideração ao
Excelentíssimo Senhor Presidente. Da Silva, para exprimir
solidariedade para com a viúva iraniana, Sra. Sakineh Ashtiani,
disse, numa demonstração do sentimento de crente em Cristo comum
a todos os brasileiros, que, “como cristão” é contra a pena
de morte por meio de apedrejamento nos casos de adultério. É
muito importante ao nosso chefe do executivo manifestar seu ponto
de vista com relação aos acontecimentos que ocorrem no mundo,
mantendo respeito aos valores e princípios legais, sociais,
políticos e econômicos de cada nação, assim como, firmar as
bases sólidas de seus posicionamentos.






sexta-feira, 2 de abril de 2010

Darwin no Brasil? Anos atrás…

Hoje saiu uma matéria da folha dizendo que 59% dos brasileiros acreditam que as espécies atuais surgiram por evolução guiada por um deus. Darwinismo e deus combinando? Não, nunca!
O que acontece é que para muitos ‘darwinismo’ e ‘teoria da evolução’ são sinônimos. Não são. Darwinismo é sinônimo de ‘seleção natural’, processo pelo qual os indivíduos mais adaptados de uma espécie se reproduzem mais de forma que uma mutação benéfica num espécimen se espalha até que em dada população a maioria sejam os com dada mutação. Sobrevivência dos mais adaptados, para encurtar.
Poderia um deus selecionar os mais adaptados? Pode ser, mas na teoria darwinista o que faz com que os mais adaptados tenham mais chances de sobrevivência é o meio. Poderia deus fazer as mutações para adaptar as espécies? Sim, mas a isso se chama design inteligente. Pelo neodarwinismo, a teoria mais aceita, junção da origem das espécies com a genética, as alterações são aleatórias.
A teoria da evolução com que se pensa no Brasil está mais para lamarckismo. Acreditam que as próximas gerações não desenvolverão dentes de siso porque ele é desnecessário, mas desconsideram o fato de as pessoas que desenvolvem esses dentes geram tantos descendentes quanto as que não desenvolvem.
Como não é possível que caracteres adquiridos se transmitam pelos genes naturalmente acham que algum deus mexa uns pauzinhos faça as crias nascerem com meios para enfrentar aquilo com que lidaram os pais. Taí uma legítima teoria lamarckista-criacionista.
Darwin passou por aqui há 150 anos e não gostou do que viu. Cria-se em um deus mas criava-se escravos!
Blogged with the Flock Browser

Sexta-feira para os capitalistas

Hoje, para os cristãos é Sexta-feira Santa, ou da Paixão do Senhor (deles), mas para os capitalista, esta é uma santa sexta-feira de trabalho para o dinheiro, apenas isso. Hoje, todos os supermercados ficam abertos, para que o consumo não se interrompa.
Entenda-se que o deus a que seguem os donos dessas lojas maçantes é o capital e que sua religião é o capitalismo. Percebe isso quem alguma vez se perguntou por que as lojas 24 horas têm fechaduras. É que elas fecham nos feriados capitalistas da véspera do Natal e da Véspera do Ano-novo, para comemorar o grande aumento das vendas no fim do ano.
Blogged with the Flock Browser

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Globo e a desinformação

A rede Globo tem um estilo desinformante. Não importa o estilo ou enredo do filme; na Sessão da Tarde sempre há uma “galera aprontando muita confusão”. Neste ano de Copa do Mundo, ela boicotou um aumento de conhecimento geral sobre os países africanos. A África, diferente do que deve parecer a muitos telespectadores da Globo, não é um país, nem o equivalente de um, mas vários países desiguais que formam um continente. O país no extremo sul dela, onde vai ser a Copa, chama-se África do Sul, mas a emissora diz que haverá uma Copa do Mundo da África. A Globo ainda está muito longe do nível de desinformação ideal, mas progride. Pelos seus planos, em 2100, poderá transmitir as “Olimpíadas da Europa”.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Chuvas em São Paulo

Nesse excesso de chuvas em São Paulo, culpam o prefeito por não prevenir as enchentes. Isso é bom… Significa que consideram “prefeito” não mais uma ocupação de uma pessoa, mas uma posição num sistema, de modo que o prefeito atual pode ser culpado por tudo o que os anteriores fizeram. Não faz pouco tempo, o único título com essa qualidade era o papa.

domingo, 17 de janeiro de 2010

A catarse de Avatar

À parte os efeitos especiais e a computação gráfica que, hoje em dia, impressionam mais pela qualidade que pela novidade, Avatar é uma tragédia que, pela concepção de Aristóteles, oferece uma catarse, ou purificação, na tradução latina.
O que ocorre em Avatar é que vários personagens na história carregam consigo um estado de ânimo quase puro, distante da realidade. Avatar ampliou um dos expedientes da tragédia, que é o distanciamento do expectador. Não ocorre nos montes ou nas nuvens, mas num satélite a uma distância grande demais para as mentes humanas. Lá pode o executivo de uma procuração ser totalmente desejoso de lucros; lá pode um Coronel Quaritch ser todo desejo de vingança e vitória, disposto a lutar até o ultimo ar nos pulmões; lá pode o avatar de Jake Sully ser uma perfeita representação da tábula rasa.
Mas se a catarse está em presenciar algo além do que vocês têm em vida, e que resolva seus conflitos, a verdadeira catarse de Jake Sully não está em que ele possa se libertar do corpo e da cultura humana pela sua atitude de tábula rasa. O que dá um efeito de “purificação” é ele poder escolher e voltar-se contra a corporação para a qual trabalha, coisa distante de muitos de vocês.
Muitos prefeririam escolher uma vida simples, no campo, longe de toda “complicação” da cidade, complicação essa que para muitos de vocês trata-se de, por necessidade, ou por impotência ter que colaborar para os problemas dessa mesma cidade. Tudo que o que apressa, tudo o que polui, tudo o que deprime, tudo o que irrita outras pessoas torna a vida de vocês mais miserável; contudo, por ordem das corporações, vocês fazem. Um empregado sabem que, se não obedecer, isso será sua ruína; não tem pra onde ir, é inútil se opor, pois sabe que se seguir o que acha correto, vai ficar fora do Sistema, e haverá outro que lhe ocupe o lugar para continuar os projetos nada humanistas dos mandantes.
A pessoa que se der conta disso sairá chorando da sala de exibição, por ver que alguém, ainda que ficcional pôde fazer o que não está a seu alcance. Alguém que pôde escapar das prisões das convenções sociais e das necessidades humanas que os prende a tudo isso.
Avatar é mais que um novo O Último Samurai com computação gráfica. É um filme com história, e, mesmo com o final que tem, uma tragédia pelo efeito que provoca.